Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O resto da festa

por aquimetem, em 20.08.12

           Na manhã de domingo, era assim, visto do meu portão do quintal, mas chegada a tarde, e após a Santa Missa, prosseguida de procissão e mais um leilão de oferendas; o assalto ao carneiro, no restaurante da festa, triunfou. É dele que em homenagem a todo este generoso povo bajouquense me quero referir e deixar as minhas felicitações: Parabéns bajouquenses!  Revejam-se nas fotos que recolhi e outros me ajudaram a recolher. Amanhã prometo fazer o resto da festa

        Enquanto que muitos, dentro, já dão ao dente, fora muitos aguardão a sua vez.

 

            Toda vaidosa, ladeada por um genro e um cunhado, a ti Beatriz Rata, observa a movimentação

 

 

 

 

 

    

       Aqui, muto concentrado, o nosso poeta (João Poeta), aguarda inspiração, já que o carneiro se foi

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:42


BAJOUCA

por aquimetem, em 15.08.12

           A festa começou no dia 14, com missa vespertina às 20:00h. Uma salva de fogo anunciou o evento, marcado também pela abertura do tradicional restaurante da festa, que nestes dias ocupa toda a área do olival paroquial e até parte do dos vizinhos que para este efeito autorizam generosamente a utilização do seu terreno. Às 19:45h era este o cenário que recolhi do patamar de entrada na igreja.

           Quando no fim da Missa e após alguns momentos na fila de espera, para arranjar mesa, entrei no restaurante, o cenário que mais me despertou atenção foi ver aquele pessoal de serviço, quase 100% alheio ao ramo da restauração, dar resposta, como que de profissionais se tratasse, a tanta clientela que para apreciar a colinária típica da Bajouca, nestas festas aparece. Nem a chuva que ameaçou, impediu que de Coimbra, da Tocha, de Óbidos e sei lá donde mais, vieram festeiros dar os parabéns ao Lino, o habitual cozinheiro bajouquense.  

           E toda a minha gente mexe!!!

          Quem serve às mesas, levanta os pratos ou travessas do cliente fora do balcão

           Dentro do balcão tudo é cuidado ao pormenor, e no aspecto higiénico o serviço é exemplar

          Até esta padeirinha, ali deu cartas até às tantas. De pequenino é que se torce o pepino.

           Da Junta de Freguesia às direcções das diversas associações com representatividade local, nenhuma se abstém de colaborar nas Festas do Padroeiro Santo Aleixo, e este ano com muito mais empenho já que a freguesia e a paróquia festejam quatro décadas de existência. Uma vida que oxalá os nossos governantes alfacinhas desistam da tentação de liquidar.

 

            Muita gente, mas muita gente, mesmo!!!

 

           No palco, ia a hora de jantar já adiantada, às 22:00h, o grupo musical FVMusic deu inicio à sua actuação.

 

           Mas em quanto uns saiam para ir dançar, outros entravam à procura do prato tradicional da festa de Santo Aleixo: carneiro à Bajouca. Pois é, mas até para satisfazer nos nossos paladares gastronómicos é preciso escolher a hora, foi o que não fez um casal muito simpático que de longe veio à Bajouca, propositadamente, para provar o prato regional da terra: que por azar, já se tinha esgotado. Sentou-se e voltou a levantar-se com a promessa de  cá voltar noutro dia, e a melhor hora. Não é invenção, foi um facto que presenciei.

 

           No fim de jantar, um cafezinho no Sousa, mais para fazer companhia a um grupo de amigos convidados do Paulo Ferreira, aqui de camisola encarnada, ladeado por mim e pelo Sr. Garcia, que veio da Tocha em busca dos bons sabores bajouquenses. A meu lado está também o Arménio Sarradela, no toque de alvorada...Mas isso, é outra conversa, foi até às 04:00h da matina.

 

          Do mesmo grupo, entre os mais, também além dos nomes já referenciados faziam parte o Sr, Eng. Frazão,vindo de Óbidos e aqui, com as suas respeitáveis barbas; o bajouquense, Joel; e o Sr. Fernando, que da Vila da Feira, veio à Bajouca, de Leiria, aprender ... que também no seu concelho existe uma aldeia com o nome de BAJOUCA

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:04


Carneiro à Bajouca

por aquimetem, em 07.08.12

           A freguesia e paróquia de Santo Aleixo da Bajouca, que este ano está a comemorar os 40 anos da sua criação, vai uma vez mais honrar o seu padroeiro com festa de arromba, a começar já no dia 14, e só no dia 20, segunda-feira, terminará com a já tradicional actuação do grupo musical KGB. Grupo que gosta mais da capital do barro leiriense do que certos políticos apostados em extinguir uma das mais dinâmicas freguesias do concelho de Leiria , que sempre  deu  os votos em maioria a quem agora a quer decapitar.

 

          Com igreja, residência paroquial e sede da Junta de Freguesia inauguradas ao mesmo tempo, em 1984, os bajouquenses são o exemplo das comunidades apostadas no combate ao marasmo que impende muitas terras de progredirem. Criada freguesia, a 17 de Dezembro de 1971; e paróquia, a 2 de Fevereiro de 1972, a Bajouca é das terras que de facto ganhou com essa promoção, uma vez que todo o sentimento bairrista do povo bajouquense se mobilizou para dar à terra a imagem que tem hoje, e que é orgulho de quem lá nasceu ou vive. O lema desta vez  é : " 40 anos a construir e a celebrar", certo como as horas de Londres!

          Capital do barro leiriense, também noutras áreas, como na pedra, a Bajouca tem artistas que muito a honram, e a imagem de Santo Aleixo à porta da igreja não deixa desmentir, já que se deve ao cinzel da bajouquense Adália Alberto, uma escultora conceituadíssima do mundo das artes, em trabalhos de pedra.

 

           Mas é das Festas de Santo Aleixo que me apeteceu falar agora, depois de ter passado no adro e ver a azafama de uma equipa de voluntários que após um dia de trabalho nas suas ocupações profissionais aqui se movimenta na montagem dos pavilhões que vão ser utilizados durante os festejos. 

 

           Os mesmos elementos e muitos outros enquadrados nas várias equipas de generosos voluntários, vão também demonstrar durante os dias de festa toda a sua dedicação e denodo nas tarefas que lhe forem confiadas no restaurante, no bar, na cremesse, no palco, no apoio aos grupos musicais e folclóricos, nas provas desportivas, e em tudo quanto para além do Carneiro à Bajouca atrai cada vez mais visitantes à terra do Padre Jerónimo que em Timor missionou, e Joaquim Paço d'Árcos em romance, imortalizou.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:06


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D